Sul de Minas regride para onda vermelha do Minas Consciente

0
75
Anúncio foi feito nesta quarta-feira (23) durante deliberação do Comitê Extraordinário Covid-19 do Governo de MG. Outras sete macrorregiões também regrediram à fase mais restritiva

O Sul de Minas regrediu para a onda vermelha do Programa Minas Consciente do Governo de MG. O anúncio foi feito durante deliberação do Comitê Extraordinário Covid-19 do Executivo Estadual nesta quarta-feira (23). A justificativa para o retrocesso foi a piora nos índices relacionados à doença, como aumento de casos na região.

Com a mudança, a macrorregião Sul deixa de estar na onda amarela e regride para a vermelha, fase mais restritiva do plano e que permite apenas o funcionamento de serviços essenciais como farmácias, supermercados, padarias e bancos.

O Sul de Minas havia regredido da onda verde para a amarela no dia 25 de novembro. Menos de um mês depois a nova regressão ocorreu, desta vez para a fase mais restritiva do Minas Consciente: a onda vermelha.



As mudanças são válidas por uma semana, a partir do próximo sábado (26). Os municípios têm autonomia para aderirem ao Minas Consciente ou não.

Mais regiões e explicação

Além da macrorregião Sul, outras sete também regrediram à onda vermelha. Desta forma, oito das 14 macrorregiões se encontram na onda vermelha (Jequitinhonha, Leste, Leste do Sul, Nordeste, Vale do Aço, Sudeste, Centro-Sul e Sul). Outras cinco estão na onda amarela (Centro, Norte, Noroeste, Oeste e Triângulo Norte). Já a região Triângulo Sul permanece na onda verde.

Em vídeo publicado em suas redes sociais após reunião do Comitê Extraordinário Covid-19, o governador Romeu Zema (NOVO) ressaltou a importância da conscientização da população neste momento.

Segundo os dados apresentados pelo Comitê, houve crescimento de 17% na incidência da Covid-19 em todo o estado na última semana. O momento, segundo o governador, é de cautela.

Veja os setores que tem funcionamento permitido na onda vermelha:

  • Supermercados, padarias, lanchonetes, lojas de conveniência;
  • Bares e restaurantes (somente para delivery ou retirada no balcão);
  • Açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros;
  • Serviços de ambulantes de alimentação;
  • Farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop;
  • Bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito;
  • Vigilância e segurança privada;
  • Serviços de reparo e manutenção;
  • Lojas de informática e aparelhos de comunicação;
  • Hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões;
  • Construção civil e obras de infraestrutura;
  • Comércio de veículos, peças e acessórios automotores.

Covid-19 no Sul de MG

De acordo com dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) nesta quarta-feira (23), o Sul de Minas contabiliza 49.957 casos de coronavírus, sendo 1.197 mortes em decorrência da doença.

No último boletim da SES-MG, novas cinco mortes e outros 639 casos positivos de Covid-19 foram confirmados no Sul de Minas.

Fonte: G1 Sul de Minas