Policia Civil prende homem que praticava estupro de vulnerável com o próprio filho em Boa Esperança (MG)

0
228
O pai da criança confessou e alegou que não via maldade e irregularidade em sua conduta por ser o genitor na vítima

Hoje (25), em Boa Esperança (MG), policiais civis passavam pela ponte do Lago dos Encantos quando perceberam a presença de um homem e uma criança em atitude suspeita. Os policiais monitoraram a situação e perceberam que, por diversas vezes, o homem manteve comportamento libidinoso com a criança, dando nela beijos na boca e acariciando as partes íntimas.

Os policiais abordaram o homem e o identificaram como sendo pai da criança em questão, mas, em face da conduta ilícita, foi dada imediata voz de prisão em flagrante a ele, pela prática do crime de estupro de vulnerável.

Na Delegacia de Polícia, a criança confirmou os fatos, informando que o pai é muito carinhoso, por amá-la demais, reconhecendo que o pai tem o hábito de lhe beijar na boca e acariciar seu corpo.

O preso, por sua vez, confessou o crime, alegando não entender ilícita sua conduta, por ser genitor da vítima. Ele ressaltou que já tinha sido alertado por terceiros sobre sua conduta e mesmo assim, por acreditar que não existia irregularidades, manteve seu hábito.

O Conselho Tutelar foi acionado e assumiu a responsabilidade imediata pela vítima. O preso foi encaminhado ao presídio de Elói Mendes, após ter ratificada sua prisão em flagrante delito. Segundo o Delegado de Polícia, Dr. Alexandre Boaventura Diniz, “o crime é de extrema gravidade e de extrema dificuldade, pois se percebe que a criança passou a idealizar uma relação de amor com o pai, sem entender o caráter ilícito da conduta. Se de um lado a prisão é importante para encerrar a prática criminosa, de outro lado é difícil imaginar o sofrimento pelo qual passará a vítima”.

A equipe policial, composta pelos investigadores Sabrina F. Marques e Fabiano S. L. Ramos, chamaram a atenção ao fato de que o crime foi praticado em via pública, à luz do dia, na presença de várias pessoas, sem que a Polícia sequer fosse acionada. Eles destacam que fatos assim devem ser imediatamente comunicados às Polícias Civil ou Militar, para tomada imediata de providências.

Fonte: PCMG/BOA ESPERANÇA