Pesquisas da EPAMIG com café são destacadas como tendências globais em publicação internacional

0
130

O trabalho da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) com cafeicultura foi destaque em uma publicação internacional que considerou pesquisas cafeeiras realizadas por institutos e universidades de todo o mundo. Além disso, o texto identificou que a pesquisa em cafeicultura no Brasil cresceu de maneira exponencial nas últimas duas décadas.

 

O artigo “Global trends in coffee agronomy research” (Tendências globais em pesquisa agronômica do café, na tradução em português) foi publicado na Agronomy, uma das principais revistas científicas do mundo. O texto lista a EPAMIG devido ao alto do número de publicações e citações da empresa em trabalhos nacionais e internacionais.

Da EPAMIG, e de acordo com o artigo, os pesquisadores mais destacados em publicações sobre café no mundo são Paulo Gontijo Guimarães e Gladyston Rodrigues Carvalho. A publicação também lista outros pesquisadores brasileiros, como Rubens José Guimarães (UFLA) e Antônio Nazareno Guimarães Mendes (UFLA).

A publicação da revista Agronomy foi escrita com base em dados de 1.618 registros armazenados no Journal Citation Reports (JCR) e na Web of Science: Emerging Sources Citation Index (ESCI. O conjunto de artigos de alta citação e de grande impacto considerado no estudo foi publicado entre os anos de 1986 e 2015.

Além da EPAMIG e da Universidade Federal de Lavras (UFLA); instituições com trabalhos em parceria; estão listadas no artigo a Universidade Federal de Viçosa (UFV), o Cirad (de Paris e Montpellier, na França), a Universidade de São Paulo (USP), o Catie (da Costa Rica e de outros países), a Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e a Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Cafeicultura da EPAMIG

O Programa Estadual de Pesquisa (PEP) em cafeicultura da EPAMIG, um dos mais tradicionais da empresa, tem como objetivos gerar e adaptar tecnologias para a ampliação e o desenvolvimento do café em Minas Gerais.

A EPAMIG é responsável pelo lançamento de 16 cultivares de café no mercado nacional, a maioria resistente à ferrugem, principal doença dos parques cafeeiros. Destaque para a cultivar Catiguá MG 2, resistente, produtiva e de excelente qualidade de bebida já reconhecida em concursos nacionais e internacionais.

Em 2021, O bem-sucedido projeto da EPAMIG que avalia o desempenho de novas cultivares de café no Cerrado mineiro ganhou proporções mais amplas. O projeto, em parceria com a Embrapa Café, agora abrange 43 propriedades localizadas em 41 municípios das regiões Sul, Sudoeste, Oeste, Campo das Vertentes, Zona da Mata, Vale do Rio Doce, Vale do Jequitinhonha, Norte, Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

O objetivo é monitorar o comportamento de 16 cultivares de café, nas condições de cultivo e manejo tradicionais das áreas, para recomendar opções mais adequadas com base em aspectos como produtividade, precocidade, maturação uniforme e qualidade. O plantio inicial das mudas ocorreu no início de dezembro. As primeiras floradas dos cafeeiros estão previstas para setembro ou outubro de 2023.

A EPAMIG é uma empresa vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa).

Fonte: Comunicação Epami e foto Pixabay