Operação Ponto Final mira organizações criminosas atuantes em Contagem

0
961

Vinte e duas pessoas foram presas, na manhã desta sexta-feira (30/7), durante a operação Ponto Final, realizada pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) nas cidades de Contagem, Betim, Ribeirão das Neves, São Joaquim de Bicas e Pará de Minas. Além das prisões, os policiais cumpriram 33 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça contra investigados em inquéritos que apuram crimes de homicídio e organização criminosa. A ação contou com o apoio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e da Polícia Penal.

A delegada regional Elisa Moreira explica que as investigações iniciaram a partir de homicídios cometidos em Contagem, totalizando 24 ocorrências, entre 2017 e 2020. Após levantamentos indicando o envolvimento desses suspeitos em organizações criminosas, foram expedidos 31 mandados de prisão, sendo cumpridas 22 ordens judiciais, dez delas em presídios, já que os suspeitos estavam detidos por outros crimes. Entre os presos estão três homens apontados como líderes dos grupos investigados.

Durante a operação, foram apreendidos materiais de interesse investigativo, entre anotações, documentos e celulares, os quais serão analisados pela polícia.

A ação foi coordenada pelo 2º Departamento de Polícia Civil em Contagem, 1ª Delegacia Regional em Contagem e Delegacia Especializada de Homicídios da cidade, e teve a participação da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da PCMG. O chefe da Polícia Civil, delegado-geral Joaquim Francisco Neto e Silva, e o secretário de Justiça e Segurança Pública, Rogério Greco, acompanharam os trabalhos.

Organizações criminosas

De acordo com o delegado Anderson Kopke, a maioria dos homicídios investigados ocorreram em 2019 e início de 2020. “Percebemos que havia três quadrilhas, duas mais fortes, que iniciaram uma ‘guerra’ pelo domínio de um trecho entre os bairros Funcionários e Perobas, em Contagem. Desse conflito por ponto de venda de drogas, chegamos a esse número aterrorizante de 24 homicídios, em uma área pequena”, detalha Kopke.

Ainda segundo o delegado, as regiões nas quais ocorreram os crimes são formadas por bairros com pequenos aglomerados, locais onde os suspeitos demarcam território por meio de símbolos, como pichações de inscrições relacionadas com os grupos criminosos.

Homicídios

Entre os homicídios apurados, estão a morte de um homem, diagnosticado com esquizofrenia, e um duplo homicídio, ocorrido em 12 de outubro de 2017, no bairro Funcionários, ocasião em que um homem e uma mulher grávida foram assassinados. As investigações sobre os homicídios prosseguem.

Clique AQUI para assistir ao vídeo. Inscreva-se no nosso canal e ative as notificações para acompanhar as novidades e ser avisado assim que a nossa live começar.

Por ASCOM-PCMG